Volta ao Mundo com a Liza – Carta 35 da Liza à GeoStar

Encontrar transportes públicos para atravessar a fronteira entre o Uganda e o Ruanda foi difícil, pois nestas paragens há poucos brancos e quando vêem um, só oferecem transporte privado. Mas depois de 1 mota e duas carrinhas, chego à fronteira, que atravesso tranquilamente. O visto é o mesmo para ambos os países e as relações as melhores.
Do outro lado da fronteira apanho outra carrinha, mais recente, mas…
…quando o pneu da carrinha rebentou dei-me conta de que o pior podia ter acontecido.
Invadiu-me uma enorme tranquilidade típica de quem está todos os dias onde queria estar!
Por sorte aqui andam devagar. Aliás, aqui tudo é muito diferente de tudo o que já vimos em África.
Chegamos pois ao Ruanda!
O país mais limpo de África, onde há varredores de rua, papeleiras para o lixo e ninguém deita nada para o chão.
Onde os sacos de plástico são proibidos, as estradas são alcatroadas e têm palmeiras nas bermas e no centro, as avenidas são sinalizadas e as casas ajardinadas, cuidadas e sem grades.
Onde se fala mais francês que inglês, muitas ruas e pessoas têm nomes franceses e conduz-se à direita.
Onde o tradicional e o moderno convivem harmoniosamente.
As mulheres vestem tradicional, mas preocupam-se que as cores combinem. E os homens vestem camisas engomadas.
Fora das fronteiras diz-se que o país é governado debaixo do medo. Que o actual presidente ameaça a população de que estão sempre a ser vigiados com câmaras e com helicópteros.
De facto, vi muitos militares armados por todo o lado, e percebi que evitavam ser fotografados.
Mas não senti o povo amedrontado.
Não têm sorrisos fáceis e espontâneos, mas devolvem-nos um sorriso Feliz se lhes sorrimos primeiro.
Por vezes até nos esquecemos que estamos em África tão organizado, cuidado e seguro que é o país.
Se a primeira impressão do país é boa, a do Lago Kivu é ainda melhor, um lugar muito agradável, verde e imaculadamente limpo!
A nossa primeira paragem no Lago Kivu foi em Gisenyi que fica a 2 Kms da fronteira com a República Democrática do Congo (antigo Zaire), um dos maiores, mais populosos e pobres países de África.
Todos os dias corro até à fronteira digo olá e volto para trás.
Dois países tão distintos a conviver lado a lado.
O Mundo é incrivelmente interessante!
Ainda fomos espreitar o Lago um pouco mais a sul, a Kibuye. Igualmente tranquila e limpa aqui encontrei alguns memoriais do genocídio de 1994 um pouco por toda a cidade.
Amanhã já nos dirigimos à Capital, Kigali, onde vamos perceber melhor como tudo aconteceu. Bora?!

Liza

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>