Volta ao Mundo com a Liza – Carta 56 da Liza à GeoStar

Melbourne – Austrália

Lá fora chove. Nada a fazer, o Outono chegou! E eu, que ando sempre a fugir do mau tempo, deixo-me render pelas magnificas cores Outonais. Estou num dos meus lugares favoritos de Melbourne “Lentil as Anything”, um restaurante vegetariano que funciona à base de donativos e voluntários. O conceito é: “todo o Mundo tem lugar à mesa” e cada um dá o que pode. Conceito perfeito para um povo generoso como este. Inserido num antigo Convento, rodeado de magestosos jardins, é o lugar ideal para escrever, ler e agradecer…! Pelas ruas descubro mais e mais Street Art e fico maravilhada. Sinto que nem uma vida chegaria para descobrir toda esta cidade. No meio de uma ponte, duas australianas vêem-me a tirar uma selfie e perguntam-se se quero que me tirem uma foto. Eu acedo e digo-lhes que amo os Australianos. E elas respondem-me, sem nunca antes me terem visto, “E nós amamos-te a ti.” Como é que se pode não apaixonar por esta gente e por este país descomplicado, sem formalismos, eficiente, organizado e honesto?! Melbourne nasceu há menos de 200 anos, em 1835. Em 1890 era uma das cidades mais ricas e prósperas do Mundo, devido à descoberta de ouro. Foi a primeira cidade do Mundo a implementar as 8 horas laborais diárias e foi aqui que muitos dos direitos femininos foram conquistados. Apenas 200 anos de história pós colonização europeia mas com mais de 40 mil anos de presença humana. O povo aborigena, apesar de ter sido massacrado, sobreviveu até aos dias de hoje, com integração social em algumas zonas do país. São os indígenas vivos mais antigos da história. Aparentemente isolados do resto do Mundo, é aqui, em Melbourne, que se realizam mais de 2.000 eventos por ano. E já em 1888 era a cidade que recebia o maior número de eventos oriundos de todos os cantos do Mundo. Mais uma vez se comprova que, na vida, tudo depende do que queremos fazer com a realidade que temos. Oh God! Como eu amo este país. ❤

Liza